quarta-feira, 9 de julho de 2014

NO PAÍS DOS HEADPHONE


     Sou uma pessoa tão pé no chão, mas tão pé no chão, que hoje acordei alegremente e fui em direção a banca de jornal com intenção de comprar uma revista MAD, pois eu precisava trocar dinheiro pra pagar a conta de luz (embora aquele papel higienico não seja muito barato).
     Eis que percebo que o dia estava bem estranho, o céu completamente cinzento, muito vento gelado vindo de várias direções, e sobretudo a rua estava deserta, muito deserta. Deserta até de mais pra ser um dia normal.
    Imediatamente, meu raciocionio me mostrou 3 possiblidades do que poderia estar acontecendo:
OPÇÃO 1-
COMEÇOU O APOCALIPSE ZUMBI ENQUANTO EU ESTAVA DORMINDO
OPÇÃO 2-
ENTREI EM UM UNIVERSO PARALELO QUANDO SAÍ  DE CASA
     

 OPÇÃO 3-
HOUVE UM SUÍCIDIO EM MASSA DE BRASILEIROS DEPOIS DA DERROTA PADRÃO FIFA
      Achei aquilo estranho, mas continuei em meu caminho, quando então me deparo com a banca de jornal fechada(!!!),mas para não perder viagem, aproveitei que estava na rua, e fui até o mercado comprar cerveja.Se eu fui até lá com um superavit nos bolsos , acabei saindo com um belo deficit (meu irmão vai ficar uma fera).
     E foi lá no mercado ,enquanto eu esperava impaciente na fila (não por que a fila estivesse grande.Na verdade só tinha dois na minha frente, mas ambos iam carregar créditos no celular, e com ambos o maldito sistema tava bugado), foi então que eu ouvi a caixa falando com outra caixa de que hoje....É FERIADO????
    Sim.Como qualquer ser humano normal, perco totalmente a noção do calendario enquanto não estou trabalhando.E por falar em trabalho, hoje tive um pesadelo do tipo nível fucked: sonhei que tava trabalhando!!!E em Callcenter!!!!!!!!!!!!
   Juro que não me lembrava mais como trabalhar no ramo de callcenter é um pesadelo! Meu deus. Nem sei como aguentei este ramo diretão por mais de 2 anos ( Minto.Eu sei perfeitamente! É por que eu tinha pura preguiça de trabalhar, e aquela era a area mais facil no momento, pois só trabalhava 6 horas por dia, e só precisava ter ensino médio completo.Eu era tão vagabunda que nem me preocupava se estava ganhando menos ou mais que um salario minimo.Só saí de fato por que me transferiram pro cú da China tempos mais tarde, e aí foi meu fim!).
     Pois o lugar é tão pesadelo que veio a minha memória justamente em forma de pesadelo ! Eu nem me lembrava o quanto eu ficava desnorteada, ouvindo perguntas que não havia respostas.E se existia respostas nem meus supervisores sabiam, e mandavam que eu pesquisasse os "books" -manuais em pdf que tinham mais paginas e confusões do que a bíblia (tanto que era impossivel encontrar dois individuos que lessem aqueles books e compartilhassem da mesma opinião: Para cada paragrafo do book havia um grupo que filosofava a respeito de quê aquele texto poderia estar ou não falando!Um inferno),e pra piorar, eles podiam ser "atualizados" a qualquer instante ,mesmo durante as operações (já aconteceu de eu passar informações conforme o "script" e 5 minutos depois a informação se tornar obsoleta)!
     Mesmo me desnorteando eu lia bastante esses "oraculos da confusão"( mesmo por que não dava pra mexer em mais nada na tela do pc porque alí  não havia Internet e sim a Intranet) e eu também não tinha assunto com os colegas do lado (eu não fazia "grupos" e sentava na primeira P.A que aparecesse na minha frente.Por consequência, todo dia eu via gente estranha).
    Mas para tentar desambiguar um pouco aquele mantra do inferno, fizeram um canal de"vamos melhorar nossos books" , onde você podia fazer perguntas, críticas e dar sugestões. Eu escrevia pra lá quase diariamente! Isso por que eu não imaginava que minhas criticas, duvidas e sugestões fossem notadas por alguém, pois na minha cabeça-oca eu imaginava apenas dois destinos possiveis de recepção das minhas mensagens : Ou elas iam diretamente pra cyber-lixeira; ou elas se perdiam no meio de milhões de outras mensagens (naqueles tempos eu ainda não assimilava muito bem a filosofia de George Orwell).
      Porém em menos de um mês, eu mandei tanta mensagem por esse canal (álias,desconfio que eu fosse a única que mandava mensagem pra eles), que a resposta que me deram foi meu supervisor me chamar pra um belo feedback, para que ele "sanasse todas minhas dúvidas". Mas isso era impossivel, por que todas as perguntas que eu havia feito eram espontânea e eu nem sabia o que eu tinha perguntado! Depois dessa, evidentemente não perguntei mais nada!
       Muito depois é que me toquei que mais de 90% da operação sequer consultava esses books. Se havia os famosos "pepinos", o pessoal já mandava diretamente pra que o supervisor se virasse nos 30 (por mais que eles xingassem e bradassem que só era pra transferir em casos graves). Como eu não tinha certeza de quais assuntos eram graves e quais eram banais, eu tentava me virar por conta própria .
       Minhas ligações tinham uma média de 40 minutos (uma verdadeira calamidade, pra quem é do ramo!) com o cliente me perguntando coisas enquanto eu caçava informações. A monitoria vivia caindo em cima de mim por causa das minhas demoras,e também por causa das milhares de informações incongruentes que eu passava por não conseguir compreender nem os books, nem os sistemas, nem os clientes, nem porra nenhuma!!
      Somente se a coisa tivesse brabu, + muito brabu mesmo, é que eu transferia a ligação... pra URA (de vez em quando a URA se voltava contra mim e me mandava o mesmo cliente de volta), por que eu tinha medo de derrubar ligação (ouvia-se nos corredores que isto rendia advertências em caso da monitoria te pegar.No entanto, tomei uma bela suspensão por causa de minhas informações incongruentes! É o famoso "fui peidar e acabei cagando"!).
        Eu até podia ser uma pessoa educada (só me xingaram de verdade uma vez, o que pode ser considerado um mérito), mas a maneira abstrata que eu atendia os clientes era tão surreal que me fez ter Pânico de ter que ligar pra qualquer 0800 da vida! E chat também, por que eu sei que eles são da mesma raíz (felizmente nunca trabalhei neste segmento,mas sei que é mais ou menos a mesma porcaria).
       Faço o possivel e o impossivel pra evitar esse tipo de estresse.

Mas para alegria de uns e desespero de outros, ha boatos de que em breve a profissão de teleoperador será  substituída por uso de maquinas (será um exercito de URAS?), tal como outras profissões repudiadas pela sociedade, como por exemplo, a de jornalistas!
nova jornalista cyborg poliglota

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens Relacionadas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...